As Relações Interpessoais na Escola: das Competências Socioemocionais à Personalidade Ética

Considerando que o desenvolvimento da autonomia moral é uma meta importante para a educação e que a escola constitui local propício para o desenvolvimento das diversas relações de colaboração e cooperação, pretende-se, neste curso, estudar essa dimensão das relações educativas, tão necessária para a realização de um trabalho construtivo na escola. A consolidação dessa base relacional fundamenta, também, a melhoria das interações sociais, além de favorecer o desenvolvimento socioafetivo das crianças e dos adolescentes. É objetivo do curso, ainda, compreender a organização de um plano de convivência em níveis institucionais. De acordo com essa perspectiva, além da experiência em si, é preciso que as escolas ofereçam um espaço sistematizado em que a moralidade se torne objeto de apropriação racional, com professores formados para elaborarem propostas que favoreçam a construção das competências socioemocionais e dos valores morais e a qualidade da convivência escolar.

(A partir de 2019, a pós-graduação A Convivência Ética na Escola mudou de nome para As Relações Interpessoais na Escola: das Competências Socioemocionais à Personalidade Ética.)

Disciplinas

Módulo I – Pressupostos Teóricos que Subsidiam a Prática Educativa

 

Relações Interpessoais na Escola

A disciplina inaugural do curso instaura a problemática das relações interpessoais na escola e trata da dificuldade em se trabalhar com ela de maneira adequada: com intencionalidade, buscando estratégias preventivas e interventivas. Além disso, apresenta as recentes pesquisas da temática da convivência ética, contemplando aspectos da pós-modernidade, suas mudanças de paradigma e as relações estabelecidas com valores morais e as competências socioemocionais.

 

Desenvolvimento Cognitivo

A disciplina estuda o desenvolvimento cognitivo do ser humano segundo a epistemologia genética de Jean Piaget, além de refletir sobre como esse processo se articula com o desenvolvimento moral. Serão analisados, durante as aulas, os diferentes modelos pedagógicos e suas consequências para o desenvolvimento do ser humano.

 

Desenvolvimento Moral

Aqui serão tratados os fundamentos da teoria construtivista piagetiana sobre o desenvolvimento da moralidade infantil e as características da criança e do adolescente. A disciplina terá como temas de estudo: as tendências morais e o processo de desenvolvimento; as relações de respeito unilateral e mútuo; a evolução da noção de justiça e de regras; Kohlberg e os estágios do desenvolvimento moral, a moralidade, a cognição e a afetividade; a construção da personalidade ética; autorregulação: vergonha e culpa; as dimensões da instituição educativa e o trabalho com o desenvolvimento moral. Será analisada, também, a importância de um trabalho pedagógico que favoreça o desenvolvimento da autonomia nas diversas dimensões da instituição educativa, com auxílio de dilemas morais.

 

Comunicação Construtiva

A disciplina propõe o estudo da influência de uma linguagem construtiva na relação professor-aluno e escola-família. As aulas, também, analisarão como a compreensão que a linguagem utilizada na relação com o sujeito influencia na construção de uma autoestima positiva. Além disso, serão debatidos, durante as aulas, os tipos de mensagem que, geralmente, se estabelecem nas relações interpessoais e as técnicas da linguagem descritiva (mensagem-eu e escuta ativa), bem como o reconhecimento da importância do elogio descritivo, as consequências do elogio valorativo e a assertividade em uma comunicação construtiva.

 

Desenvolvimento Afetivo

A disciplina apresenta os aspectos que compõem a natureza afetiva do psiquismo humano em sua gênese. Tais características participam da construção da identidade à luz da teoria piagetiana e das teorias para a compreensão da dimensão afetiva da moral e que a distinguem como “ética”. Serão temas de análise, ainda: as relações entre inteligência e afetividade; os estágios do desenvolvimento afetivo; os sentimentos que participam da construção da personalidade ética e o trabalho com afetividade na escola.

 

Ambiente Cooperativo

Esta disciplina abrange o estudo das características de um ambiente sociomoral cooperativo, os procedimentos pedagógicos que o compõem e a influência deste tipo de ambiente para o desenvolvimento da autonomia moral do sujeito. Serão analisadas, nas aulas, as experiências bem-sucedidas e suas tecnologias; o trabalho com a pedagogia de projetos; o gerenciamento de sala de aula e as relações interpessoais, assim como a autoridade do professor. Será tratada, também, a compreensão da importância das experiências vivenciadas em tal ambiente, para a formação sociomoral do sujeito.

 

Clima Escolar e Avaliação Formativa

 

Serão temas de estudo, nesta disciplina: o conhecimento do clima escolar, o que o compõe, qual é sua importância para a melhoria das relações de convivência, como se avalia o clima escolar e como usar os resultados de tal avaliação para traçar metas e planos de trabalho em virtude de uma convivência ética.

Além disso, as aulas versarão sobre os seguintes temas: a avaliação numa perspectiva processual, como apoio à aprendizagem; o uso de instrumentos avaliativos adequados à proposta do curso, rubricas e portifólio e a compreensão do uso abusivo das avaliações no ambiente escolar.

 

Módulo II: as Ações Preventivas, Intervenções e Curativas na Convivência Escolar

 

Os Conflitos Interpessoais

Nesta disciplina, serão analisados os conflitos interpessoais na escola, em uma perspectiva construtivista, e os procedimentos de resolução de conflitos empregados pela escola autocrática e democrática, bem como suas consequências na formação sociomoral das crianças e dos adolescentes. As aulas versarão, também, sobre a gênese dos conflitos entre crianças e adolescentes e suas causas e estratégias, como a discussão de conflitos hipotéticos e suas finalizações.

 

Regras e Assembleias na Escola

A disciplina trata dos seguintes temas: a necessidade de normas e os procedimentos de legitimação que devem preservar e propiciar, ao sujeito, o respeito por si próprio e pelo outro; o processo de legitimação e obediência às normas; os princípios norteadores para a formulação de regras; as regras não negociáveis e as regras negociáveis, bem como a necessidade de coerência e regularidade. Será analisado, também, o passo a passo para implantação das assembleias, na escola, como prática moral que sustenta o alicerce de um ambiente democrático, no qual o diálogo e a cooperação são fundamentais.

 

Problemas de Convivência: Indisciplina, Incivilidade, Transgressão, Bullying e Outras Violências

 

Esta disciplina pretende estimular reflexões sobre as manifestações perturbadoras no ambiente escolar e discussões sobre conceitos como indisciplina (ruptura do contrato pedagógico), incivilidade (provocação e reação ao comportamento perturbador) e transgressão (descumprimento das regras escolares). Ainda, serão esclarecidas questões sobre manifestações agressivas, a violência e suas dimensões psicológicas e a violência provocada pelo fenômeno do bullying, suas características, intervenções durante e após agressões, por meio de protocolo específico.

 

Mediação de Conflitos

Os conflitos com poucos envolvidos pedem uma abordagem privada como, por exemplo, mediações ou círculos restaurativos. Trata-se de protocolos pós-conflito em que as partes envolvidas, apoiadas por um mediador, têm a intenção de se expressarem e de escutarem umas às outras, além de reconhecerem suas escolhas e responsabilidades para chegarem a um acordo. Tais mediações visam restaurar as relações de forma não punitiva, tendo como princípios norteadores o diálogo, a responsabilização pelas atitudes, a disponibilidade para ouvir e considerar as necessidades e os sentimentos envolvidos.

 

Direitos Humanos/Agressões Virtuais e a Educação Digital

 

A disciplina busca debater acerca dos direitos humanos universais e da transposição no cotidiano escolar, para garantir uma convivência democrática e as contribuições do professor na sala de aula, visando o fomento dos direitos humanos.

Além disso, serão temas de estudo os riscos decorrentes do uso da internet e as manifestações violentas presentes no ciberespaço, tais como: sexting, linchamento, ciberassédio, cyberbullyingstalking, trolagem, “vingança pornô”, pedofilia e shaming. Serão analisados, também, o trabalho com a educação digital e as estratégias para prevenção desse tipo de agressão; conteúdos programáticos, como segurança, privacidade, vício em internet, perda de controle e manipulação do conteúdo online e consequências do mau uso da internet e das ações no meio virtual.

 

Práticas Morais e as Competências Socioemocionais

 

Durante as aulas, haverá discussões acerca do conceito de competências socioemocionais e práticas morais, com ampliação para a perspectiva de um trabalho de educação moral. O debate terá como objetivo entender e reconhecer as diferentes categorias de competências socioemocionais e práticas morais. Dentre os temas discutidos estão: competências socioemocionais e a BNCC: como a convivência ética atua; tipos de práticas: o trabalho com filmes, autoimagem, teatro e role playing; histórias da literatura; conflitos hipotéticos; jogos para a expressão dos sentimentos; clarificação de valores; narrativas morais; autobiografia; entrevistas pessoais e sessão de debates.

 

Seminário de Práticas – Parte 1 e Parte 2

 

A disciplina versa sobre o trabalho de conclusão de curso (TCC), que deve ser apresentado para aquisição do título de especialista, no formato de seminário, ao final do curso. Serão apresentadas diferentes propostas de práticas elaboradas pelos alunos ao longo dos estudos feitos na pós-graduação, com o objetivo de produzir um ebook da turma.

 

Meio Ambiente, Consumo e Ética/Protagonismo Infantil e Juvenil

A disciplina propõe o estudo das estruturas, dos processos sociais, das conexões e interfaces entre meio ambiente e relações de consumo. Serão feitas análises dos reflexos da sociedade de consumo sobre o meio ambiente, aprofundando uma reflexão ética que envolve os comportamentos, valores e as atitudes do homem em relação à natureza, a fim de assegurar a proteção à biodiversidade e a qualidade de vida no planeta.

As aulas, também, tratarão de experiências em que jovens e crianças são protagonistas da transformação, tais como aprendizagem em serviço, ciclos autorais e sistemas de apoio, como aperfeiçoamento para a convivência ética na escola. Serão tema de estudo a implantação de equipes de ajuda, alunos tutores, alunos ajudantes, alunos mediadores e cybertutores, além de experiências sobre o protagonismo infantil e juvenil no Brasil e na Espanha.

 

Relação Família-Escola

 

A disciplina trata da parceria entre a escola e a família e do processo de construção da autonomia intelectual e moral dos alunos. Durante as aulas, o docente incentivará as reflexões e análises acerca das diferentes contribuições da família e da escola na formação da personalidade ética. Serão estudadas características das famílias na atualidade, de modo a propiciar a compreensão da importância das experiências vivenciadas no ambiente familiar para a formação sociomoral do sujeito. Além disso, as aulas analisarão as dificuldades encontradas, pelo educador, na construção da parceria com a família e os procedimentos pedagógicos coerentes com a construção dessa coparticipação. Serão temas de discussão, também, as diversas estratégias de intervenção eficazes para a superação de problemas, como a escola da família e os ciclos de diálogos formativos.

 

Gestão Cooperativa e Plano de Convivência/O Olhar Sensível da Arte

Nesta disciplina, serão tratados os seguintes temas: a gestão cooperativa na escola, via institucional que aciona a construção de uma convivência ética na escola; o estudo sobre a construção de um plano de convivência, do diagnóstico da realidade escolar, das intervenções, do processo de avaliação e do plano tutorial.

Nas aulas, serão discutidas as estratégias, reflexões e teorias que se mostram coerentes com uma prática sensível e integradora, em educação. Serão tema de debate, também, as particularidades dos processos de criação e fruição em arte, bem como os elementos sociais e culturais que constituem a escola e propiciam o desenvolvimento físico, cognitivo e afetivo dos indivíduos nela inseridos. Serão propostas, além disso, experimentações para o incentivo da criação e o exercício da expressão sobre fatos cotidianos, de modo a estimular a percepção da arte como campo de conhecimento. Espera-se, ainda, discutir alternativas de trabalho e formação que prezam pela descoberta dos elementos naturais, pela percepção dos próprios sentidos e pelo exercício diário de convivência em sociedade, evidenciando dimensões particulares do trabalho pedagógico, na perspectiva da educação estética.

Corpo docente

Clique no nome para visualizar o currículo.

Profa. Dra. Adriana de Melo Ramos (coordenadora e docente)

Prof. Dr. Adriano Moro

Profa. Mestra Darlene Knoener

Profa. Dra. Adriana Regina Braga (convidada)

Prof. Dr. Cesar Augusto Amaral Nunes

Profa. Mestra Danila Di Pietro Zambianco

Profa. Doutora Flávia Maria de Campos Vivaldi

Profa. Dra. Juliana Zechi (convidada)

Profa. Dra. Lívia Maria Ferreira da Silva 

Profa. Dra. Luciana Haddad Ferreira

Profa. Mestra Luciana Zobel Lapa

Profa. Dra. Luciene Regina Paulino Tognetta (convidada)

Profa. Doutoranda Mariana Tavares Almeida (convidada)

Profa. Dra. Paula Saretta

Prof. Doutorando Raul Alves

Profa. Mestra Sanderli Aparecida Bicudo Bomfim

Profa. Mestra Soraia Campos 

Profa. Dra. Telma Pileggi Vinha (convidada)

Profa. Dra. Thais Cristina Leite Bozza (convidada)

Prof. Doutorando Warley Guilger Corrêa (convidado)

 

Depoimentos

“O curso dá um embasamento teórico para a nossa prática e possibilita uma reflexão sobre o cotidiano na escola. Ao instrumentalizar os alunos, oferece mais possibilidade de reflexão, inclusive, sobre o papel da escola na construção da personalidade ética e no mundo contemporâneo. Está sendo muito bom contar com fontes teóricas para fazer uma reflexão sobre a prática.”

(Maria Miguelina Azevedo Mansur, aluna do curso de pós-graduação As Relações Interpessoais na Escola: das Competências Socioemocionais à Personalidade Ética.)

 

“O curso se baseia em um conteúdo de trabalho de extrema relevância para a escola contemporânea, que tem a responsabilidade de promover, com as famílias, o desenvolvimento moral de seus alunos, assim como colaborar para que eles venham a se constituir como sujeitos éticos. Essa formação só pode acontecer de modo que os alunos desenvolvam sua autonomia moral, em uma escola que tenha uma gestão democrática e um ambiente cooperativo de aprendizagem, por meio do uso de uma linguagem construtiva nas interações entre adultos e crianças. Além disso, a escola deve fomentar a prática do diálogo e da negociação na resolução dos conflitos e na discussão das necessidades colocadas pelos alunos e pelo restante da comunidade escolar. Esses são alguns dos temas tratados neste curso, por professores com bastante conhecimento dos conteúdos propostos e competentes na escolha das dinâmicas das aulas. Em todos os módulos, há uma parte teórica com aulas expositivas, apoiadas no  diálogo, e uma parte na qual são feitos trabalhos em grupo, em que podemos refletir sobre os temas estudados e relacioná-los com situações da nossa prática cotidiana na escola.”

(Sônia B. da Fonseca, aluna do curso de pós-graduação As Relações Interpessoais na Escola: das Competências Socioemocionais à Personalidade Ética.)

 

“Entender que a cognição não caminha sem a afetividade é uma das chaves para o desenvolvimento humano. O curso de pós-graduação As Relações Interpessoais na Escola: das Competências Socioemocionais à Personalidade Ética é uma excelente oportunidade para vermos a educação por meio de uma lente que possibilita melhores processos e, consequentemente, resultados superiores nas escolas. Com professores altamente qualificados e renomados, além de aulas mensais aos finais de semana, temos a oportunidade de crescermos pessoal e profissionalmente. Recomendo!”

(Aurea Bartoli, aluna da turma 2018/2019)

Vídeos