Sob a sombra de nossas mães: a escrita sobre maternidade, feminilidade e gênero

Nossas mães e avós, mesmo quando não mais vivas, estão sempre conosco. Como filhas, quer gostemos ou não, acabamos por virar nossas mães, e suas histórias se tornam nossas histórias, como se fossem uma parte de nós. Herdamos seus olhos, ou o seu gosto musical. Como escritoras, às vezes escrevemos suas histórias matriarcais, ou então transformamos nossas mães nas personagens que inventamos. No entanto, a importância que nossas mães tiveram em nossas vidas como escritoras é mais significante do que o transcrito no papel. Somos escritoras porque nossas mães nos inspiraram para isso. A inspiração vem de formas variadas e de uma infinidade de impulsos. Discutiremos a influência de nossas mães em nossa escrita e nosso próprio desenvolvimento como escritoras sob a sombra delas.

Convidadas:

Binnie Kirshenbaum é autora da coleção História em uma Nota Pessoal, além de outros romances. Alguns deles já foram escolhidos como Livros Notáveis do ano por veículos como Chicago Tribune, National Public Radio (NPR), Revista Time, The San Francisco Chronicle e Washington Post; ela ganhou duas vezes o Critics Choice Awards e foi selecionada pela revista literária britânica Granta como uma das melhores e mais jovens escritoras americanas. No Brasil, ela tem publicado o romance Poesia Pura (Record, 2002), um emocionante e divertido retrato da vida de Lila Moscowitz, uma poeta nova-iorquina de língua afiada, atitudes controversas e voraz apetite para o sexo. Sucesso absoluto nos países onde foi lançado, Binnie Kirshenbaum seduziu a crítica e recebeu elogios de Norman Mailer e Michael Cunnningham.

Elissa Schappell é autora do livro de ficção Modelos para Construir Garotas Melhores (Blueprints for Building Better Girls), que foi escolhido como melhor livro do ano pelo The San Francisco Chronicle, The Boston Globe, The Wall Street Journal, Newsweek/Daily Beast e pela O Magazine, e do livro Use-me, que foi indicado ao prêmio PEN/Hemingway e escolhido como Livro Notável pelo New York Times e como Melhor Livro do Ano pelo Los Angeles Times. No Brasil, ela publicou o livro Use-me (Record, 2002), que relata dolorosas, divertidas e por muitas vezes amargas experiências de uma jovem adolescente rumo àmaturidade. As dez histórias reunidas no livro revelam a jornada da personagem principal, Evie Wakefield, da adolescência apaixonada para o casamento e a maternidade. Os relacionamentos de Evie com os homens – seu pai, seus namorados e finalmente seu marido e seu filho – e o amor, ou a falta dele, modelam o curso da vida da protagonista.

Noemi Jaffe é escritora, professora e crítica literária. Doutora em Literatura Brasileira pela USP, trabalhou em escolas de Ensino Médio, como professora de literatura, por mais de vinte cinco anos e, atualmente, dá aulas de criação literária no Instituto Vera Cruz, em sua própria escola, Escrevedeira, e em outras instituições. Mantém o blog literário Quando Nada Está Acontecendo e coordena um grupo particular de escritores há cerca de cinco anos, do qual organizou e publicou duas coletâneas de contos: 336 Horas (Casa da Palavra) e Bestiário (Terceiro Nome). Desde 2006, Noemi atua como crítica de literatura dos jornais Folha de S. Paulo e Valor Econômico e vem participando como jurada de concursos literários, como o Prêmio Oceanos, um dos mais importantes do país. Escreveu, entre outros, os livros A Verdadeira História do Alfabeto, vencedor do prêmio Brasília de Literatura de 2014, Írisz: as Orquídeas, ambos publicados pela Cia. das Letras, e O que os Cegos Estão Sonhando? (Ed. 34), que foi editado recentemente nos Estados Unidos, pela Deep Vellum.

Inscrições abertas.
Este evento é promovido pelo curso de pós-graduação Formação de Escritores, do Instituto Vera Cruz, em parceria com a School of the Arts da Columbia University e o Columbia Global Centers – Rio de Janeiro.
Evento gratuito.

 

Logos Instituto Vera Cruz - Columbia University - Casa Guilherme de Almeida