Ciclo de Palestras: Ler e Escrever em Contextos de Estudos

“Escrita e leitura são inseparáveis quando se trata de aprender. Durante a leitura, é habitual tomar notas, fichar, registrar ideias e perguntas nas margens de um texto. Ao resumir, assim como ao elaborar uma produção depois de ter lido diferentes materiais sobre um tema, leitura e escrita se entrelaçam tão estreitamente que é difícil distingui-las: parecem se fundir numa mesma atividade, orientada à compreensão e à aprendizagem” (Aisenberg e Lerner, 2008).

 A leitura e a escrita são práticas sociais que permeiam distintas instâncias da vida cotidiana e ganham diferentes nuances a depender dos contextos comunicativos em que estão inseridas. Desse modo, saber ler e escrever não depende apenas de conhecimentos sobre o sistema de representação – a ortografia e a gramática, mas envolve conhecimentos sobre gêneros textuais, contextos e portadores. Na escola, o trabalho nas diversas áreas se utiliza da especificidade de um ou outro gênero, aqui também ganhando matizes singulares: ler e escrever um texto em Ciências Naturais não é igual a ler e escrever um texto em Ciências Sociais. Para que aprendam os conteúdos dessas áreas, os estudantes precisam, paralelamente, aprender a buscar informações, a ler e a escrever em cada uma delas. Trata-se de trabalhar as práticas de leitura e de escrita em contextos de estudo, ao permitir que as crianças e adolescentes acessem novos saberes. A particularidade da leitura e da produção textual em meios impressos e digitais, em distintas áreas, será o objetivo desse ciclo de palestras.

 

Descontos nas palestras nacionais:

. opção por 1 palestra: R$ 90,00

. opção por 2 palestras: R$ 170,00

. opção por 3 palestras: R$ 240,00

 

Ler e Escrever em Contextos Digitais | PALESTRA INTERNACIONAL

Alfabetizar em nosso tempo e espaço pressupõe tratar das práticas de leitura e escrita nos âmbitos literário, de estudo e de formação cidadã, ao utilizar a diversidade de mídias que nossa cultura oferece. Os meios digitais   ampliam e ressignificam as leituras e escritas, além de apresentarem múltiplos desafios na construção de situações e de intervenções didáticas. Na palestra, serão debatidas problemáticas cruciais para o professor, tais como:

– a formação de leitores críticos na seleção de fontes de estudo na internet;

– a leitura literária e de estudo em meios audiovisuais e a especificidade dos espaços coletivos de intercâmbio;

– a escrita nos meios digitais: o papel das ferramentas de revisão e edição na formação de escritores;

– as recomendações audiovisuais: booktrailer e booktubers;

– a construção de hipertextos como instrumento privilegiado de expansão textual; e

– a leitura de notícias nos meios, as concepções dos alunos e o desenvolvimento de sequências didáticas para possibilitar seus avanços.

Palestrante: Profa. Dra. Flora Perelman

Psicopedagoga e doutora em Psicologia pela Universidade de Buenos Aires. É especialista em Educação, com foco em escrita e alfabetização pela Universidade Nacional de La Plata. É professora de pós-graduação da Universidade de Buenos Aires, da Universidade de La Plata e da Universidade Nacional de Rosario. Dirige e assessora pesquisas subsidiadas pela secretaria de Ciência e Técnica da Universidade de Buenos Aires, vinculadas com a leitura e a escrita em contextos de estudo, com a leitura na internet e com a leitura e escrita de notícias midiáticas. Também coordena e orienta teses sobre temas vinculados à alfabetização de adultos, concepções infantis sobre os conceitos ortográficos e leituras exploratórias em sites de História, na internet. É professora do programa de Formação Situada em Práticas de Linguagem, do governo de Buenos Aires. Além disso, integra a equipe de Gerência Operativa de Currículo para a atualização do desenho curricular de 1o e 2o ciclos, do governo de Buenos Aires. É autora de diversos livros e artigos sobre leituras e escritas em sala de aula, no papel e no computador.

Data e horário: sábado, dia 13 de abril, das 9h00 às 12h00

Investimento: R$ 120,00

Observação: A palestra será ministrada em espanhol e não haverá tradução simultânea.

 

Ler e Escrever em Ciências Sociais 

Em que pese reconhecermos a natureza linguística do pensamento conceitual, ainda é muito frequente que se tome a leitura e a escrita nas aulas de História, de Geografia e das Ciências Humanas, em geral, como algo que apenas ofereceria insumos para a aprendizagem do conhecimento dessa área. Os textos que os alunos têm que ler, nessa perspectiva, aparecem como uma espécie de mal necessário, um “obstáculo incontornável”, como aponta Beatriz Aisenberg. Os textos que eles têm que escrever devem, por sua vez, nos apresentar os conhecimentos conceituais que estavam na apostila, no texto didático ou na exposição do/a professor/a. Ainda de acordo com essa prática, tanto na leitura como na escrita, o foco de atenção recai sobre as informações que estão nos textos: mas não nos textos em si, em sua construção, neste caso efetivamente tomados como construção e materialização de conhecimento e não somente como repositórios de informação. Essa concepção, ainda hegemônica, deixa de lado o papel dos alunos na construção de seus conhecimentos nessa área, tanto na leitura (que não está pressuposta como a relação entre o texto e o leitor), quanto na escrita (que, afinal, não considera os alunos como efetivos autores de textos, sujeitos de seus conhecimentos). A palestra pretende apresentar tais questões e apontar caminhos, usando alguns exemplos de como podemos trabalhar em outro sentido, ao investir na formação de leitores mais autônomos de textos mais complexos e de escritores que se permitam tomar a palavra para entender o mundo social.

Palestrante: Daniel Helene

Formou-se em História pela Universidade de São Paulo, em junho de 2001. Trabalhou na Escola da Vila entre 2000 e 2009, onde tornou-se professor. Pelo trabalho desenvolvido ali, recebeu o prêmio Professor Nota 10, em 2004, e passou a integrar sua comissão selecionadora (hoje chamado Educador Nota 10) a partir do ano seguinte, em diversas edições. Em 2006, trabalhou na Associação Vagalume, com formação de mediadores de leitura em comunidades rurais da Amazônia Legal Brasileira. Integra o Centro de Estudar Acaia Sagarana (Ceas), do Instituto Acaia, como professor de História e coordenador pedagógico. Atua como formador de professores em escolas públicas e privadas. Trabalhou, ainda, na Escola Castanheiras (como professor, em 2016) e no Colégio Anglo 21 (em 2017 e 2018, como coordenador pedagógico do EF2). Doutorou-se em História Social pela USP, em 2016, com pesquisa sobre aprendizagem significativa em História. Em 2018, integrou a equipe do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (Icep) na elaboração dos Referenciais Curriculares da Prefeitura de Salvador (BA). Atualmente, co-coordena os Anos Finais do Ensino Fundamental da Escola Vera Cruz.

Data: quinta-feira, dia 16 de maio, das 19h00 às 21h30

Investimento: R$ 90,00

 

Ler e Escrever em Ciências Naturais

Além do compromisso de formar alunos que desenvolvam o senso crítico, a curiosidade e a pesquisa, o ensino de Ciências, nos diferentes níveis, também visa mobilizar as capacidades de leitura e escrita dos estudantes nos diversos gêneros do discurso, tanto em linguagem oral quanto escrita. Durante o encontro, trataremos da leitura e da escrita em situações didáticas que envolvem Ciências como práticas de letramento. Isso pressupõe compreender essas situações como eventos coletivos nos quais as pessoas interagem entre si, em que há sobreposições de textos, leituras e de (re) significação de conhecimento. Partiremos de situações cotidianas que evidenciam e se utilizam do discurso científico, como peças publicitárias e notícias, para discutir o impacto da ciência e da tecnologia na vida das pessoas. Além disso, versaremos sobre as diferentes formas de apropriação desse conhecimento na escola, na sociedade e nos meios de comunicação de massa. Na sequência, analisaremos diferentes contextos didáticos voltados para a leitura e para a escrita a partir de temas relacionados às Ciências da Natureza.

Palestrante: Paulo Cunha

Biólogo com mestrado em genética pela Universidade de São Paulo, especializou-se em Biologia do desenvolvimento no Centro de Investigaciones Biologicas (Madri-Espanha) e Jornalismo Científico pela Unicamp. Foi professor da Educação Básica de escolas públicas e privadas de São Paulo. No Ensino Superior, atua na formação de professores de Biologia e Ciências, além de pedagogos. Coordena o projeto Acaia Sagarana, que trabalha com alunos do Ensino Médio oriundos da rede pública, com interesse em ingressar em boas universidades. Coordena o projeto Imunologia nas Escolas pelo Instituto de Investigação em Imunologia – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (iii-INCT). Nos últimos anos, tem participado na discussão e estruturação curricular tanto em âmbito nacional (BNCC do Ensino Fundamental e Médio) como estadual (Currículos de São Paulo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraíba e Espirito Santo). Autor de livros didáticos e paradidáticos pelas editoras Moderna, Saraiva/Atual e Lumine.

Data e horário: quinta-feira, dia 15 de agosto, das 19h00 às 21h30

Investimento: R$ 90,00

 

Ler e Escrever Textos Expositivos

O enorme volume de textos de gêneros expositivos-explicativos que circula no ambiente escolar cria a necessidade de se aprofundar o estudo de suas características discursivas e linguísticas de modo a contribuir para a aprendizagem dos conceitos de diferentes componentes curriculares. Sem dúvida, o aprimoramento das habilidades do campo de estudo e pesquisa é essencial para o sucesso acadêmico dos estudantes da Educação Básica. Encarar tal desafio é, portanto, compromisso da escola. O propósito desse encontro é, além de refletir a respeito da estrutura composicional desse tipo textual e analisar certas formulações linguísticas recorrentes, sugerir algumas estratégias didáticas que fomentem a reflexão, ao apontar para uma prática pedagógica que valorize situações significativas de compreensão e produção textual.

Palestrante: Maria José da Nóbrega

Formada em Língua e Literatura Vernáculas pela PUC/SP, com mestrado em Filologia e Língua Portuguesa pela USP, atuou em programas de formação continuada junto ao MEC, à SEE de São Paulo e à SME de São Paulo. Além de assessorar várias escolas particulares de São Paulo, é coordenadora dos projetos de leitura da Editora Moderna, organizadora da série “Como eu Ensino”, da Editora Melhoramentos e professora do curso de especialização em Formação de Escritores, do Instituto Superior de Educação Vera Cruz, em São Paulo.

Data e horário: quinta-feira, dia 12 de setembro, das 19h00 às 21h30

Investimento: R$ 90,00

 

Perguntas frequentes:

. Como faço a inscrição nos eventos do Instituto Vera Cruz?As inscrições são realizadas exclusivamente pelo site www.veracruz.edu.br/instituto. A instituição na qual trabalho vai financiar a atividade que vou fazer. É possível indicar isso no ato da inscrição?Sim. No campo “Dados para cadastro e faturamento”, você poderá visualizar a opção “Emitir nota fiscal para empresa/instituição”. Caso selecione essa opção, basta preencher com o nome e o CNPJ da empresa.. Há desconto para inscrição de grupos?

Sim. Para grupos a partir de 5 pessoas, oferecemos desconto de 10% no valor total. Para inscrever o grupo, é necessário entrar em contato com a Secretaria do Instituto, pelo telefone (11) 3838-5992 ou pelo email instituto@veracruz.edu.br.

. Qual é a forma de pagamento?

O pagamento é feito via cartão de crédito. Ao preencher o formulário de inscrição, você deve inserir os dados do cartão e selecionar a forma de pagamento (à vista ou parcelado) para poder finalizar a sua inscrição. Dessa forma, sua vaga estará garantida na atividade selecionada.

. É possível cancelar a inscrição depois do pagamento?

Sim. Nesse caso, é feito reembolso integral para o cancelamento desde que informado até 10 dias antes do início da atividade, por email.

. Há um número mínimo de inscrições para a realização da atividade?

Sim. Para que a atividade venha a acontecer, é necessário um mínimo de 15 participantes.

. E se eu fizer a minha inscrição e a atividade for cancelada?

O Instituto Vera Cruz poderá suspender a atividade, caso não haja o número mínimo de participantes previsto. Em caso de cancelamento, o inscrito é informado por email em até 5 dias antes da data de início da atividade, e a devolução do valor pago é realizada em até 20 dias úteis, por meio de estorno no cartão de crédito.

. Há estacionamento no local?

De segunda a sexta-feira, no período noturno (18h00 às 22h00), é possível estacionar dentro do Instituto Vera Cruz (Rua Baumann, 73, Vila Leopoldina), mediante pagamento de R$15,00 pelo período. Para utilizar o estacionamento, o/a aluno/a deve retirar um crachá para seu veículo, na Secretaria. Aos sábados, não é oferecido o serviço de estacionamento.

Top
Instituto Vera Cruz

Instituto Vera Cruz