Possibilidades de um narrador

 

“Na sua confortável zona de ninguém, os narradores estão à vontade para serem tão prolixos quanto se queira. É a sua prerrogativa. (…) Assim o pede a credibilidade: um narrador quer-se disciplinado, equânime. Pode ter vistas largas, pode ser mundano e impetuoso, mas nunca traiçoeiro”. A 3ª edição da revista Revera — escritos de criação literária do Instituto Vera Cruz, traz um ensaio do escritor português Alexandre Andrade sobre as possibilidades de um narrador na prosa ficcional contemporânea. Confira.