Línguas, culturas e literaturas em diálogo

 

Durante o II Congresso Internacional da Universidade de Brasília (UnB), nos dias 16, 17 e 18 de agosto, Cristiane Tavares e Geruza Zelnys, docentes do curso de pós-graduação Livros, Crianças e Jovens: Teoria, Mediação e Crítica, do Instituto Vera Cruz, relataram experiências realizadas em sala de aula com o objetivo de conhecer, resgatar e fortalecer a representatividade de identidades linguísticas e sociais das alunas, a partir de práticas de leitura, escrita e oralidade.

 

Na apresentação “Como acolher a diversidade de identidades linguísticas e sociais no Ensino Superior voltado à formação de professores?”, as professoras compartilharam dados sobre a estruturação da grade curricular; referências teóricas fundantes; formato dialógico das aulas; objetos de pesquisa e trechos de monografias de conclusão do curso. As informações foram acolhidas com muita atenção pelo público, que apontou a necessidade urgente de se repensar a diversidade no espaço acadêmico, sobretudo mediante a ampliação da escuta e o cultivo de relações mais horizontais.

 

Recepção e crítica literária

No papel de crítica literária, Cristiane apresentou, durante a mesa “Enraizamento, representatividade e resistência nas mitopoéticas de ‘Poemas para ler com palmas’, de Edimilson de Almeida Pereira”, uma análise dos textos que compõem o livro, voltado ao público infantil.

 

Os poemas conservam raízes das culturas afrodiaspóricas inscritas em cinco mitopoéticas: a capoeira, o congado, o jongo, os orixás e os vissungos. A análise literária partiu dos conceitos de enraizamento, representatividade e resistência como formas de expressão artística presentes na poética do autor. Foram apresentados, ainda, trechos da pesquisa da aluna Luciana Gomes, que realizou, com crianças, rodas de leitura dos poemas.

 

Luciana também apresentou parte de sua pesquisa de monografia, em processo de conclusão. Com o objetivo de abrir caminhos para possíveis diálogos sobre a importância do processo formativo dos estudantes pelo viés das narrativas mitológicas, para além do conhecimento da mitologia greco-romana, a pesquisa “Mitologia dos orixás afro-brasileiros: recepção e representatividade” busca analisar a recepção de crianças e adolescentes sobre a mitologia dos orixás. Tal estudo se baseia na apreciação de mitos afro-brasileiros recontados por Kiusam de Oliveira e Reginaldo Prandi.