Sobre a experiência

 

 

O último dia de aula da graduação em Pedagogia, antes do fechamento do semestre, reservou grandes surpresas às alunas da disciplina Infância: Representação, Experiências e Mundos Sociais, ministrada pela professora Maria Paula Zurawski.

 

Em discussões sobre as representações da infância, ainda nas aulas iniciais, a turma realizou uma atividade a partir da leitura do texto “Notas sobre a experiência e o saber de experiência”, de Jorge Larrosa Bondía. A proposta era que cada aluna fizesse o registro, escrito ou em forma de desenho, de momentos da própria vida que tivessem configurado uma experiência, de acordo com o conteúdo estudado no texto do filósofo e pedagogo espanhol.

 

Com o material em mão, todas foram convidadas a participar de uma brincadeira: guardar os registros, sem identificação, e fazer o sorteio de um “amigo secreto”, em março. “Sem saber quem tinha escrito o quê, as alunas passaram o semestre com a experiência e, ao se conhecerem melhor, tentaram adivinhar de quem seria”, explicou Maria Paula.

 

Além da leitura da experiência retirada no amigo secreto, as alunas escreveram impressões ou construíram objetos que pudessem representar como a experiência sorteada as havia afetado, para presentear a pessoa sorteada no dia da revelação no final do semestre. Com três chances para descobrir a autora do relato, Maria Paula conta que nem todas acertaram. “Ouvimos relatos alegres, de infâncias felizes; outros vieram em forma de poema. As respostas foram emocionantes, com objetos feitos pelas próprias alunas, em forma de música ou até mesmo algo especial para comer.”

 

Segundo a professora, a atividade deixou claro o quanto os professores precisam ter em mente que as crianças são seres plenos e não pessoas incompletas, a serem moldadas. “Buscamos inverter o olhar do adulto, entendendo e olhando a criança como um ser que já existe e se coloca, e não como um indivíduo frágil e incapaz.”