Livro-álbum: novas experiências a partir da leitura de imagens

literatura-2358594w620

Filho da cultura visual, o livro-álbum propõe uma experiência lúdica e sensorial de leitura que desafia os parâmetros tradicionais da literatura infantil. Dados da Cámara Argentina de Publicaciones (CAP) revelaram um aumento de 5,5% na venda de títulos para crianças e jovens, com maior crescimento das obras para crianças de 5 a 10 anos, faixa etária que guia as editoras que produzem livros-álbum.

Em entrevista ao La Nacion, a mestra em Livros e Literatura para Crianças e Jovens, Cecília Bajour, classificou o livro-álbum como um macrogênero, já que ele envolve, cruza e recebe vários gêneros. Além disso, segundo ela, o livro-álbum não vem da literatura adulta, mas vai para ela. “Porque o mercado editorial os propõe, geralmente, para crianças, mas mesmo aqueles adultos que dizem que os livros com ilustrações são para elas sentem-se atraídos e desafiados por esse tipo de livro. Na verdade, o livro-álbum veio para sacudir a ideia de que há uma determinada idade para ler alguns livros”. (leia a reportagem completa aqui)

No sábado, 18 de fevereiro, Cecilia Bajour fará uma palestra no Instituto Vera Cruz sobre a construção estética e ficcional dos livros-álbum para situações de conversa literária. As vagas estão esgotadas.