Arquivo da categoria: Sou do campo, faço história

Engajamento Político como Fruto da Luta por Terra

Dona Ivone: representante do acampamento Cachoeirinha.

Com o objetivo de compreender se a consciência crítica da situação política de nosso momento histórico se restringe, ou não, a quem possui um alto grau de escolaridade e renda foi investigado a presença de consciência de classe dos trabalhadores, ou seja, condição social na qual membros de uma classe – a classe operária em especial – estão arduamente conscientes de si mesmo como classe (definida por Karl Marx). Além disso, para entender melhor a origem do engajamento político no campo, foi observada, também, a relação deste com o movimento de luta por terra.

Para issoo trabalho se baseou em entrevistas, realizadas com diversas figuras locais, utilizando-se de questões relativas à renda, escolaridade, idade, profissão e questões direcionadas às convicções e participações políticas. Tais observações possibilitaram uma análise profunda, fundamentada em ampla pesquisa didática e consulta a textos fornecidos por professores orientadores.

Para ler o artigo completo clique aqui.

 

O Trabalhador e o Jovem em Formação: como os Conhecimentos Extraescolares e Escolares se Relacionam

Foto de Marli de Barros – Escola do assentamento rural Bela Vista do Chibarro.

Neste ensaio apresentaremos os resultados da pesquisa realizada com trabalhadores de diversos locais que visitamos durante o Estudo do Meio de 2017: o Acampamento Cachoeirinha, o Assentamento Bela Vista do Chibarro, a Usina Santa Cruz e a agrofloresta na Fazenda São Luiz.

Nosso trabalho procurou investigar a história das aprendizagens pessoais de cada indivíduo com que nos deparamos em diferentes contextos da viagem do estudo do meio.

Com esse objetivo, realizamos entrevistas a partir de um roteiro de perguntas semiestruturado, preparado em sala de aula antes da viagem.

Clique no link para ler o texto completo.