INDÍGENAS DISPUTAM VAGAS PARA OLIMPÍADAS RIO 2016

♦ Antonio Losada Totaro e Laura Coelho Cruz

 

A trigésima primeira olimpíada acontecerá no Rio de Janeiro (RJ), com a cerimônia de abertura no dia 05 de agosto, sendo uma de suas modalidades o tiro com arco. Esse evento tão comum no cotidiano indígena pode levar os jovens a participar dos jogos olímpicos
Os habitantes das aldeias que nem sabiam o que era uma olimpíada participam do projeto Arquearia Indígena do Amazonas desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), que há dois anos e oito meses vêm treinando-os para uma possível vaga na Seleção Brasileira de Tiro com Arco e com excelentes resultados até então.

Dentre enumeradas conquistas Nelson Moraes (Inha) faturou uma medalha de bronze na categoria cadete no AAE, Arizona Cup, e será um dos condutores da Tocha Olímpica no Brasil.
Nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas realizado em outubro de 2015 o atleta olímpico Marcus Vinicius D’Almeida,17, trocou experiências com o Timbira Pataxó e comenta “Eu acho muito importante a realização desse evento. Ele vai servir também para mostrar as diferenças entre o arco e flecha e o tiro com arco. O meu esporte é profissional e o arco e flecha é da cultura indígena. Temos muito o que aprender com os povos. Os indígenas praticam há muito tempo a arte da flecha e espero trocar experiências aqui em Palmas. É interessante ver a diversidade de arcos que existente”.

Oitavo Ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *