COMEDIANTE CURITIBANO DESTACA-SE EM SEU PRIMEIRO STAND-UP GRAVADO

♦Ana Beatriz Ganeff Tavares, João Pedro Maroni e Fernando Kalaidjian

Ator, roteirista e comediante revelação 2012, Afonso Padilha, destaca-se no seu primeiro projeto gravado, o stand-up “Isso tem que dar certo”. Este foi filmado, no Curitiba Comedy Club, depois compartilhado na Netflix no final de 2015.

Vindo de uma família muito pobre, Afonso, passou por dificuldades financeiras na infância, não que isso o impediu de se divertir, o que é explicitamente mostrado em passagens de seu espetáculo.favoritas-da-priscilao

Além de comediante, Padilha, também é ator e tem duas peças, e isso é altamente notável por suas criativas e diferentes atitudes corporais, como o uso do microfone representando diferentes objetos e diferentes vozes para interpretar seus personagens.

Um fator que ajuda muito para o desenvolvimento do espetáculo, é o roteiro que além de ser muito bem escrito é muito engraçado, o que não era de se esperar menos já que este participa ativamente da elaboração dos roteiros das curtas do fenômeno digital, Porta dos fundos, em parceria com o Fabio Porchat. Porém este fica muito preso ao programado o que dificulta o contato com o público.

Algumas piadas de seu stand-up, são obvias e podem ser comparadas com a outros humoristas, como Mauricio Meireles, que em partes de sua peça “ NÃO me leve a sério”, que está em cartaz dês de 2013, diz: “Se videogame realmente influenciasse na vida das pessoas nos estaríamos entrando em canos para pegar moedas.”, já Afonso Padilha diz em sua apresentação: “ Ser influenciado é muito diferente de ser viciado, qual foi a última vez que você jogou Mario o dia inteiro, saiu na rua e parou em frente a uma construção e deu uma cabeçada no tijolo.”

Outra dificuldade na peça, é o excessivo uso de palavrões, para dar graça a uma piada. O que estraga em alguns momentos, aquele roteiro tão bom e cheio de potencial.

“Isso tem que dar certo”, é uma junção de situações e consequências de coisas de nosso dia a dia transformadas em piadas, mesmo sendo uma forma não muito produzida, como o uso de figurinos ou objetos de apoio, Padilha consegue transmitir com clareza todas as emoções para o público presente naquela noite ou para quem assistiu depois em casa. Porém talvez por ser um pouco jovem, o comediante as vezes se prendia demais ao texto e esquecia da interação com o público, coisa que o formato do stand-up facilita.  Mesmo tendo algumas piadas repetidas, as novas e as expressões faciais e corporais ganham a atenção e risadas de qualquer público, principalmente o juvenil, atigindo o principal objetivo de qualquer comediante, risadas.

Oitavo Ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *