A EVOLUÇÃO DOS PROJETORES

♦Elena Cooper Marques e Pedro Bastos Giandalia

Em 1850, Louis-Jacques Daguerre e Joseph Nicéfore Niepce inventaram a fotografia, recurso que possibilitou a criação do cinema e seus projetores, que acabaram sendo criados em 1895, pelos irmãos Louis e Auguste Lumière.

PRIMEIROS PROJETORES

Imagem projetada pelo Fenacistoscópio Fonte: http://4.bp.blogspot.com

Imagem projetada pelo Fenacistoscópio

Hoje, as imagens que aparecem nas salas de cinema que você vê são apresentadas por um projetor, máquina com intenção de projetar imagens em uma superfície. Constituído por uma bobina de recolhimento, uma bobina de alimentação, um gate, duas rodas dentadas, uma lente e um obturador, a ideia de projeção não apareceu só no século XIX, como é geralmente suposto.

Leonardo da Vinci, ainda no século XVI, realizava trabalhos utilizando a projeção de luz, ainda que não fosse por questões relacionadas ao entretenimento.

Evoluiu até que em 1832, Joseph Antoine Plateau foi o primeiro a usar esse meio de projeção para entreter as pessoas, e acabou criando o Fenacistoscópio, máquina que apresenta várias posições diferentes de um objeto ou ser vivo em figuras, colocadas em ordem em um disco, que quando girado aparenta indicar movimento, ou seja, várias imagens formando um movimento constante e continuo.

No mesmo século, Charles Émile Reynaud inventou o Praxinoscópio, aparelho feito de diversos espelhos conectados que brincavam com a luz de forma a criar um espetáculo reluzente. Essas foram as primeiras versões dos projetores, mas ainda não se pareciam com os projetores modernos.

PROJETORES DO SÉCULO XIX

Apenas no final do século XIX os projetores se aperfeiçoaram em mecânica e qualidade de imagem. Tomas Edson foi o primeiro a testar essa ideia, criando um projetor mecânico, e assim que grandes produtoras perceberam que as pessoas pagariam para ver entretenimento nessas novas maquinas, a ideia foi logo apropriada e melhorada. As imagens eram (e ainda são) feitas de pequenas imagens que, ao entrarem em contato com a luz, são iluminadas e ampliadas, como o Fenacistoscópio. Criou se uma forma de emendar várias fitas, de forma para não ter que parar o filme a cada meia hora para trocá-la, já que cada fita de imagens tem um tamanho limitado. Mais técnicas de fabricação foram exploradas com mais atenção e foi logo percebido que tal aparelho necessitava de diversas peças, que foram logo inventadas para aperfeiçoar o aparelho.

A evolução foi tanta que já nos anos 30 os filmes já contavam com cores, e não apenas preto e branco. As imagens foram ficando cada vez mais fluidas e nos anos 90 já estava praticamente perfeitas. Assim, abriram espaço para os projetores atuais

PROJETORES ATUAIS

Os projetores de hoje em dia têm uma qualidade excepcional de imagem, em parte em virtude da pressão da indústria cinematográfica para obter sempre o perfeccionismo em suas produções, investindo grandes quantias de dinheiro na fabricação de projetores bons.

Um problema é que aparelhos como esse quebram com muita facilidade e requerem cuidados especiais para serem consertados, como técnicos e instrumentos feitos especificamente para o problema. Outro problema apresentado é que pequenos defeitos fazem toda a diferença na hora da sua experiência no cinema, como um pixel preto ou glitches que distorcem a imagem. Atualmente os projetores funcionam a base da mistura das três cores primarias -azul, amarelo e vermelho- para criarem qualquer outra cor. A branca, que é a mistura de todas as cores, ajuda nesse processo, dando realce nas cores mais difíceis de criar usando somente as primeiras três cores. Com a evolução que vimos ao longo da história, podemos imaginar como serão os

Os projetores do futuro serão com certeza um grande desenvolvimento, com a qualidade de imagem ultrapassando os limites do real e deixando a plateia com a sensação de estarem dentro da tela, vivendo a história dos personagens dos filmes como se estivessem ali ao seu lado. Grandes quantias continuam sendo investidas na produção dessas e a melhoria de imagem é constante. O futuro dessa indústria ainda será glorioso.

Oitavo Ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *