Pós-graduação - Formação de Escritores

Corpo docente

O corpo docente do curso de pós-graduação Formação de Escritores é composto por especialistas em criação literária e escritores experientes e premiados.

Márcia Fortunato - coordenadora

rosto

Licenciada em Letras, Doutora na área de Linguagem e Educação pela Faculdade de Educação da USP com a tese Autoria e Aprendizagem da Escrita.  Por 15 anos ministrou oficinas de leitura e escrita para adultos, com foco na criação de textos ficcionais e não ficcionais no Instituto Vera Cruz, desenvolvendo pesquisa em ensino de criação literária. Em 2010, criou o projeto inicial da pós-graduação lato sensu Formação de Escritores, cuja coordenação divide, a partir de 2013, com Roberto Taddei.

Roberto Taddei - coordenador

Roberto TaddeiMestre em Escrita Criativa pela Columbia University, de Nova York, onde também cursou o programa Writer as a Teacher. É escritor e jornalista. Autor dos romances “Existe e está aqui e então acaba” (Dobra, 2014) e “Terminália” (Prumo/Rocco, 2013). Ministrou cursos de criação literária para estudantes de graduação e pós-graduação em Nova York (Columbia University) e em São Paulo (AIC, Sesc, e B_arco). Colaborou com os jornais O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde e Diário do Comércio e foi editor-chefe do portal estadão.com.br. Escreve resenhas críticas para o caderno Ilustrada, do jornal Folha de S.Paulo.

Bruno Zeni

bruno-zeni_divulgacaoEscritor, editor e doutor em Letras pela USP. Desenvolve pesquisa em nível de pós-doutorado sobre a literatura urbana brasileira e os escritores João Antônio, Dalton Trevisan e Rubem Fonseca. Em parceria com a designer Sílvia Nastari, criou a Editora Quelônio (www.quelonio.com.br). É autor de “O fluxo silencioso das máquinas” (Ateliê Editorial, 2002), “Sobrevivente André du Rap” (Labortexto Editorial, 2002), “Corpo a corpo com o concreto” (Azougue Editorial, 2009) e “Você é minha notícia secreta” (Quelônio, 2014).

Chico Mattoso

Chico MattosoMestre em Escrita Dramática pela Northwestern University (EUA), onde também atuou como professor; formado em Letras pela USP. Escritor, tradutor e roteirista, foi editor da revista literária Ácaro e é co-autor de “Cabras – Caderno de Viagem” e “Parati para mim”. Seu primeiro romance, “Longe de Ramiro”, foi finalista do prêmio Jabuti. É também autor de “Nunca vai embora”. Foi eleito pela revista inglesa Granta um dos vinte “melhores jovens escritores brasileiros”.

Fabrício Corsaletti

Fabrício Corsaletti

Formou-se em Letras pela USP e em 2007 publicou, pela Companhia das Letras, o volume “Estudos para o seu corpo”, que reúne seus quatro primeiros livros de poesia: “Movediço” (Labortexto Editorial, 2001), “O sobrevivente” (Hedra, 2003) e os então inéditos “História das demolições” e “Estudos para o seu corpo”. Também é autor dos contos de “King Kong e cervejas” (Companhia das Letras, 2008), da novela “Golpe de ar” (Editora 34, 2009), dos poemas de “Esquimó” (Companhia das Letras, 2010, prêmio Bravo!), “Quadras paulistanas” (Companhia das Letras, 2013) e “Baladas” (Companhia das Letras, 2016), das crônicas de “Ela me dá capim e eu zurro” (Editora 34, 2014), além dos livros infantis “Zoo” (Hedra, 2005), “Zoo zureta” (Companhia das Letrinhas, 2010) e “Zoo zoado” (Companhia das Letrinhas, 2014). Com Alberto Martins escreveu “Caderno americano” (Luna Parque, 2016), que reúne poemas em prosa dos dois autores sobre a América Latina, e com Samuel Titan Jr. traduziu “20 poemas para ler no bonde”, do argentino Oliverio Girondo (Editora 34, 2014). Desde 2010 é colunista da revista sãopaulo, do jornal Folha de S.Paulo, onde publica quinzenalmente crônicas e poemas.

Heitor Ferraz

Heitor FerrazÉ jornalista e mestre em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo, onde defendeu a dissertação O rito das calçadas: aspectos da poesia de Francisco Alvim. Publicou, entre outros, os livros de poesia “Coisas imediatas” (1996-2004), “Um a menos”, e “Meu semelhante”, todos publicados pela Editora 7 Letras. É professor de Jornalismo Cultural e Jornalismo Literário na Faculdade Cásper Líbero.

Jayme Loureiro

Jorge Miguel Marinho. Foto: Davilym DouradoGraduado em História pela USP, mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (com dissertação sobre Machado de Assis) e doutor em Literatura Brasileira pela USP (com tese sobre A idade do serrote, autobiografia de Murilo Mendes). Durante muitos anos atuou no mercado livreiro. Autor de dois livros infantis: “Peçoinhas” (2011) e “Sob as ordens do Major Costinha” (2013).

Joca Reiners Terron

Joca Reiners TerronCursou arquitetura na UFRJ e desenho industrial na Unesp. Em 1998 fundou a editora Ciência do Acidente, na qual trabalhou como editor e pela qual publicou seu primeiro romance, “Não há nada lá” (2001), e seu segundo livro de poemas, “Animal Anônimo” (2002). Publicou os livros de relatos “Hotel Hell” (Livros do Mal, 2003), “Curva de rio sujo” (Planeta, 2003), e “Sonho interrompido por guilhotina” (Casa da Palavra, 2006), e três romances, além de “Guia de ruas sem saída”, graphic novel ilustrada por André Ducci (Edith, 2012). Em 2010, recebeu o Prêmio Machado de Assis da Biblioteca Nacional de melhor romance por “Do fundo do poço se vê a lua” (Companhia das Letras, 2010, publicado em Portugal pela Teorema em 2016). Seu último romance é “A tristeza extraordinária do leopardo-das-neves” (Companhia das Letras, 2013), publicado no México pela Editorial Almadía e na Itália por Caravan Edizioni. Organizou a coleção Otra língua, com autores hispano-americanos. Traduziu “Mary Poppins” (CosacNaify, 2014), em edição ilustrada pelo estilista Ronaldo Fraga, além de Richard Brautigan, Enrique Vila-Matas, Mario Levrero e Roberto Bolaño, entre outros. Na produtora paulistana RT/Features, coordenou produções editoriais e seleção de direitos para obras adaptadas ao cinema e à TV, como coleção Amores Expressos (publicada pela Companhia das Letras) e a série “O Hipnotizador”, atualmente no canal HBO. Assinou a dramaturgia de “Bom Retiro 958 metros”, encenada pelo Teatro da Vertigem, e o roteiro de”Curva de rio sujo”,  filmado por Felipe Bragança em 2015. “A tristeza extraordinária do leopardo-das-neves” está em processo de adaptação, a ser dirigido por Philippe Barcinski. Atualmente, conclui o romance “Noite dentro da noite”, ganhador da bolsa Petrobras Cultural 2012, a ser publicado pela Companhia das Letras.

Jorge Miguel Marinho

Jorge Miguel Marinho. Foto: Davilym DouradoJorge Miguel Marinho é professor de Literatura Brasileira, mestre pela USP, coordenador de o cinas de criação literária, dramaturgo, roteirista, ator, pesquisador de componentes lúdicos na crítica literária com os livros “Nem tudo que é sólido desmancha no ar – ensaios de peso” e “A convite das palavras – motivações para ler, escrever e criar”, autor de livros de ficção literária, entre eles, “Te dou a lua amanhã – uma biofantasia de Mário de Andrade” e “Lis no peito – um livro que pede perdão”, premiados com o Jabuti.

José Carlos Souza

José Carlos SouzaMestre em Crítica Genética pelo Programa de Língua e Literatura Francesa da USP, atua como professor de Língua Portuguesa e Produção de texto. Realiza periodicamente oficinas de criação literária na Secretaria Estadual de Cultura e SESC. Autor de livros de poemas como “Adeptos & Relapsos” e “Fragmentos da Bala”, adaptou para teatro o romance “São Bernardo”, de Graciliano Ramos, e atualmente vem se dedicando a pesquisas sobre a gênese da criação literária.

Josélia Aguiar

Josélia Aguiar. Foto: Jose TerraDoutoranda e mestre em História pela USP. Mestre e jornalista especializada em livros, atuou em jornais diários, revistas culturais e blogs. Lançou “Jorge Amado – uma biografia”, a primeira biografia do autor baiano em meio século. Trabalhou na Folha de S.Paulo, onde foi repórter, redatora, colunista de livros e correspondente baseada em Londres para toda a Europa. Editou EntreLivros, revista de livros e literatura. Contribui com reportagens e resenhas para revistas e suplementos de todo país. É curadora da FLIP para a edição de 2017.

Julián Fuks

Julián Fuks

É doutor em Literatura pela USP e autor de “Procura do romance” (Record, 2012) e “A resistência” (Companhia das Letras, 2015), dentre outros. Seus textos foram publicados em jornais e revistas no Brasil e no exterior. Foi eleito pela revista Granta um dos vinte melhores escritores brasileiros. Recebeu o prêmio Jabuti 2016 por seu romance “A resistência”.

Juliano Garcia Pessanha

Juliano Garcia PessanhaDoutorando em Filosofia na USP, mestre em Psicologia pela PUC-SP. Escritor e ensaísta, publicou a trilogia “Sabedoria do nunca”, “Ignorância do sempre”, “Certeza do agora”, além de “Instabilidade perpétua”, reeditados pela Cosac Naify em 2015 e agrupados no volume “Testemunho Transiente”. Sua obra transita por diferentes gêneros como aforismo, poesia em prosa, conto, ensaio filosófico, auto e heterotanatografia, em estreito diálogo com a literatura, a filosofia e a psicanálise. Vencedor do prêmio Nascente, promovido pela Abril e USP, nas categorias poesia e ficção, e do Grande Prêmio da Crítica da APCA, em 2015, por “Testemunho Transiente”.

Isabela Noronha

Isabela NoronhaÉ mineira, jornalista e mestre em escrita criativa pela Brunel University, na Inglaterra. Recebeu o prêmio da agência literária Curtis Brown pelo projeto do romance “Resta um”, publicado pela Companhia das Letras em 2015 e finalista do prêmio São Paulo de literatura. É autora do infantil “Adeus é para Super-Heróis”, vencedor do prêmio Barco a Vapor de 2013.

Ivan Marsiglia

Ivan MarsigliaIvan Marsiglia nasceu em 1970, em São Paulo. É jornalista e bacharel em ciências sociais, com especialização na Fondation Journalistes en Europe (Paris) como bolsista da Capes. Foi repórter e editor da revista Playboy, redator-chefe da Trip, assessor da Secretaria de Imprensa e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e editor-assistente do caderno Aliás, do jornal O Estado de S. Paulo. É autor de “A Poeira dos Outros” (Arquipélago Editorial, 2013).

Livia Lakomy

Lívia Lakomy

Lívia Lakomy é jornalista e tradutora, mestre em Criação Literária de Não Ficção pela  Columbia University, com especialização em Tradução Literária. Seu trabalho pode ser encontrado online em revistas como Guernica, Howler e The Toast, entre outros. No momento trabalha  em uma série de traduções de autores curitibanos para a Wakefield Press.

 

Manuel da Costa Pinto

Manuel da Costa PintoFormado em jornalismo pela PUC-SP e mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP, é autor de “Literatura Brasileira Hoje” (Publifolha, coleção Folha Explica) e “Albert Camus – Um Elogio do Ensaio” (Ateliê Editorial), co-autor de “Ilha Deserta – Livros” (Publifolha), e organizador e tradutor da antologia “A Inteligência e o Cadafalso e outros ensaios”, de Albert Camus (Editora Record). Foi editor-assistente da Edusp, editor-executivo do Jornal da USP, redator do caderno Mais!, da Folha de S.Paulo, editor-executivo da revista Guia das Artes, editor da CULT – Revista Brasileira de Literatura, coordenador editorial do Instituto Moreira Salles, editor e âncora dos programas Letra Livre e Entrelinhas, da TV Cultura, e curador da FLIP (2011). É colunista da Folha de S.Paulo e curador do Prêmio Oceanos de Literatura. 

Maria José Nóbrega

Maria José Nóbrega

Formada em Língua e Literatura Vernáculas pela PUC/SP, com mestrado em Filologia e Língua Portuguesa pela USP, atuou em programas de formação continuada junto ao MEC, à SEE de São Paulo e à SME de São Paulo. Atualmente, além de assessorar várias escolas particulares de São Paulo, é coordenadora dos projetos de leitura da Editora Moderna, organizadora da série “Como eu Ensino” da Editora Melhoramentos e professora do curso de Especialização em Formação de Escritores do Instituto Superior de Educação Vera Cruz, em São Paulo.

Marília Garcia

Marília GarciaDoutora em Literatura Comparada (UFF) e mestre em Literatura Brasileira (UERJ), tendo desenvolvido pesquisas nas áreas de poesia contemporânea, brasileira e francesa, e em teoria da tradução. É autora dos livros “Um teste de resistores” (7letras, 2014), “Engano geográfico” (7letras, 2012) e “20 poemas para o seu walkman” (Cosac Naify, 2007). Trabalhou durante mais de dez anos no mercado editorial e ministrou oficinas de escrita na Escola de Letras da UNIRIO. Atualmente, trabalha com tradução e é editora da Luna Parque.

Noemi Jaffe

Noemi Jaffe

Doutora em Literatura Brasileira pela USP, com tese sobre a poesia de Antonio Cicero. Escritora, professora de literatura há cerca de 30 anos e crítica literária da Ilustrada (Folha de S.Paulo) e do Valor Econômico. Finalista dos Prêmios Portugal Telecom e Zaffari & Bourbon. Autora dos livros “Todas as coisas pequenas” (Hedra, 2005), “Quando nada está acontecendo” (Martins Fontes, 2011), “A Verdadeira História do Alfabeto” (Cia. das Letras, 2012), “O que os cegos estão sonhando?” (Ed. 34, 2012), e “Írisz: as orquídeas” (Cia das Letras, 2015).

Odilon Moraes

Odilon Moraes

Graduado em arquitetura pela USP trabalha como ilustrador há mais de 25 anos. Recebeu prêmios como o Jabuti de ilustração pelas imagens dos livros “A Saga de Ziegfried”, de Tatiana Belink, Editora Companhia das Letras, em 1994 e “O Matador”, de Wander Piroli, Editora Cosac Naify, em 2009; o Melhor Livro do Ano para Crianças, da FNLIJ, em 2002 pelo livro “A Princesinha Medrosa”, Editora Cosac Naify e “Pedro e Lua”, também da editora Cosac Naify, em 2004, ambos com texto e imagem de sua autoria. Em 2012 seu livro “Traço e Prosa”, uma entrevista com ilustradores brasileiros, recebeu o prêmio Melhor Livro Teórico do Ano, também pela FNLIJ. Possui várias obras agraciadas com o selo White Raven da Biblioteca Internacional do Livro para Crianças de Munique, entre eles “O Menino da Chuva no Cabelo”, com texto de Márcio Vassalo, Editora Global, “A Fome do Lobo”, com texto de Cláudia Vasconcelos. Editora Iluminuras e “O Guarda-Chuva do Vovô”, Editora DCL, e, “Lá e Aqui”, editora Pequena Zahar, os dois com texto de Carolina Moreyra. No ano de 2014 entrou para a lista de honra do International Book Board for Youth (IBBY). Desde de 2005 ministra palestras e oficinas sobre a história e o conceito do livro ilustrado em instituições como o Instituto Tomie Ohtake, Museu Lasar Segall, SESC Pompéia. No primeir o semestre de 2016 foi professor especialista convidado no Instituto de Estudos da linguagem, IEL, da UNICAMP. Atualmente faz mestrado pelo Instituto de Artes da UNICAMP com o tema o livro ilustrado no Brasil.

Paloma Vidal

Paloma VidalEscritora, tradutora e professora de Teoria Literária na Universidade Federal de São Paulo. Publicou os livros de contos “A duas mãos” (7Letras, 2003) e “Mais ao sul” (Língua Geral, 2008); os romances “Algum lugar” (7Letras, 2009) e “Mar azul” (Rocco, 2012); as peças “Três peças” (Dobra, 2014); e os ensaios “A história em seus restos: literatura e exílio no Cone Sul” (Annablume, 2004) e “Escrever de fora: viagem e experiência na narrativa argentina contemporânea” (Lumme Editor, 2011). Sua publicação mais recente são os livros “Durante” e “Dois” (7Letras, 2015), com textos do blog “Lugares onde eu não estou” (www.escritosgeograficos.blogspot.com). Seus textos foram traduzidos para o espanhol, inglês, francês e alemão. Traduziu, entre outros autores, Clarice Lispector, Adolfo Bioy Casares e Tamara Kamenszain. É editora da revista Grumo (www.salagrumo.com) e da coleção Entrecríticas (editora Rocco).

Sergio Vilas-Boas

Sérgio Vilas-BoasJornalista, escritor. Há 12 anos dá cursos e workshops sobre Jornalismo Literário pelo Brasil. Tem mestrado e doutorado pela ECA/USP com pesquisas sobre narrações biográficas. Autor de uma dezena de livros, entre eles “Perfis: o Mundo dos Outros / 22 Personagens e um Ensaio” (coletânea) e “Biografismo” (obra teórica decorrente de seu doutorado). Prêmio Jabuti 1998 com o “Os Estrangeiros do Trem N”. Em 2015 lançou o romance “A Superfície Sobre Nós” (Amarilys Editora). Foi editor e repórter em vários jornais. Presta consultoria para empresas e pessoas interessadas em reconstruir suas memórias. Membro da International Association of Literary Journalism Studies (IALJS).

Tiago Novaes

Tiago NovaesEscritor e tradutor, publicou o livro de contos “Subitamente: agora” (7Letras) e os romances “Os amantes da fronteira” (Dobra), “Estado Vegetativo” (Callis) e “Documentário” (Funarte), que acompanha o longa-metragem “Herança”, dirigido e editado pelo autor. Em 2013, organizou a antologia “Tertúlia: o autor como leitor” (Sesc Edições), elaborado a partir dos encontros realizados no Sesc-SP. Foi finalista dos prêmios São Paulo de Literatura em 2008 (“Estado Vegetativo”), Jabuti em 2014 (“Tertúlia”) e Oceanos em 2015 (“Os amantes da fronteira”), e obteve bolsas de estímulo da Secretaria da Cultura de São Paulo e Fundação Nacional das Artes (Funarte). Traduziu mais de uma dúzia de livros em ficção e não ficção. Publicou artigos como correspondente internacional para a Folha de S.Paulo, Estadão e BBC- Brasil. Atualmente, conclui doutorado em Psicologia pela USP.

Vanessa Ferrari

Vanessa FerrariVanessa Ferrari é editora e mestranda em crítica textual pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Foi editora da Companhia das Letras (2009 a 2015) e editora da FLIP (2005 a 2008). Atualmente ministra cursos de percepção de linguagem no Espaço Cult, é coordenadora do projeto de leitura crítica da Revista Pessoa e dos Clubes de Leitura Penguin-Companhia em doze unidades prisionais no Estado de S. Paulo.

Veronica Stigger

Veronica StiggerEscritora, crítica de arte e professora universitária. Possui doutorado em Teoria e Crítica de Arte pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutorado pela Università degli Studi di Roma “La Sapienza”, pelo Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP) e pelo Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP. É coordenadora do curso de Criação Literária da Academia Internacional de Cinema e professora das Pós-Graduações em História da Arte e em Fotografia da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Entre seus livros publicados, estão “Os anões” (São Paulo: Cosac Naify, 2010), “Delírio de Damasco” (Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2012) e “Opisanie świata” (São Paulo: Cosac Naify: 2013; Prêmio Machado de Assis, Prêmio São Paulo de Literatura na categoria Autor Estreante, Prêmio Açorianos para Narrativa Longa).