14º Seminário de Educação e Cultura | Escola e Democracia

O Instituto Vera Cruz mais uma vez promove, em seu 14º Encontro de Educação e Cultura, uma discussão instigante. Em tempos que exigem da sociedade inteligência e serenidade/sensibilidade para que se recupere o sentido de uma convivência respeitosa, fazemos um convite para refletirmos, juntos, sobre a rica relação entre escola e democracia, bem como para aprofundarmos a compreensão da relação entre direitos humanos e educação desde a primeira infância, destacando a argumentação sobre os equívocos do tema no senso comum.

O Seminário contará com a presença de convidadas cujas trajetórias profissionais e pessoais são marcadas pela luta pela democracia e pelos direitos humanos na história recente do Brasil.

 

Palestra: Educação para a democracia

Profa. Maria Victoria Benevides

Segunda-feira, 22 de outubro, das 19h00 às 21h30

A escola é o locus privilegiado para o desenvolvimento da educação para a democracia, pois continua sendo a única instituição cuja função oficial e exclusiva é a educação. No momento atual, em que se vive a ameaça da redução de direitos de cidadania, nos perguntamos: como a escola pode exercer seu papel na formação de cidadãos democráticos?

Importante: Aos participantes da palestra, recomenda-se a leitura prévia do texto Educação para a democracia. Clique aqui para acessá-lo.

Maria Victoria Benevides é socióloga, com especialização no campo da Ciência Política e do Direito e em temas da História Política Brasileira e da Educação. Desde 1996, é professora titular da Faculdade de Educação da USP, onde leciona Sociologia e continua colaborando em seminários sobre Teoria da Democracia e Direitos Humanos. Militante dos Direitos Humanos, participa de órgãos públicos e de entidades da sociedade civil que atuam nessa área. É consultora do projeto Respeitar é Preciso!, do Instituto Vladimir Herzog.

 

Oficina: Respeito e valores (oficina do Respeitar é Preciso!, projeto do Instituto Vladimir Herzog adotado na rede municipal de ensino de São Paulo)

Neide Nogueira e equipe do projeto Respeitar é Preciso!

Terça-feira, 23 de outubro, das 19h00 às 22h00

Violência, intolerância e desrespeito parecem estar tomando proporções assustadoras na sociedade e, inclusive, na escola. Como trabalhar com a construção do respeito na escola? E como entender a questão dos valores, que muitas vezes não são os mesmos para as pessoas que convivem num mesmo grupo, gerando conflitos? Nesta oficina, a equipe do projeto Respeitar é Preciso! propõe um trabalho com foco nesses desafios de forma bem prática e lúdica, proporcionando oportunidade para uma reflexão sobre o papel da escola na formação de cidadãos que valorizem e pratiquem o respeito em suas relações humanas e sociais.

Neide Nogueira é coordenadora educacional do projeto Respeitar é Preciso! desde 2016. Nascido de um convênio entre o Instituto Vladimir Herzog e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, na gestão do Prefeito Fernando Haddad e do Secretário Municipal dos Direitos Humanos Rogério Sotilli, o projeto busca uma ação efetiva nas escolas, espaço estratégico de formação em valores. Seu principal objetivo é disseminar a cultura de Educação em Direitos Humanos nas escolas por meio da adoção do respeito mútuo e do respeito à diversidade, repudiando, assim, qualquer forma de violência no convívio escolar. O convênio foi recentemente renovado e estará presente nas escolas da rede municipal paulistana até 2020.

 

Oficina: Literatura e Direitos Humanos: ainda estamos nos perguntando para que serve a literatura?

Celinha Nascimento

Quarta-feira, 24 de outubro, das 19h00 às 22h00

Não há nenhuma dúvida de que narrativas nos ensinam sobre o mundo que nos cerca. Nem sempre, porém, elas encantam ou suavizam a caminhada, mas, ao contrário, nos tiram o chão, abrindo feridas e reabrindo outras, antigas. Quer seja como obra de arte ou ferramenta de luta, a literatura será o foco desta oficina, em que experimentaremos a leitura de obras clássicas à luz de contextos históricos ao longo do tempo e refletiremos sobre o retorno da censura, em especial sobre a literatura infantil, e fenômenos como a utilização cada vez maior da biblioterapia em clínicas especializadas e a leitura utilizada para a diminuição de pena nos presídios. No momento em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos, a oficina discutirá gêneros textuais, autores e narrativas, desdobrando-se numa boa discussão sobre os Direitos Humanos.

Importante: Traga para a oficina sua obra clássica favorita, seu poema de cabeceira e de todas as horas ou um livro de literatura infantil que fez sua cabeça.

Celinha Nascimento é mestre em Literatura Brasileira pela USP, pesquisadora, contadora de histórias, assessora e formadora de professores em Literatura e Cultura Popular, mediadora de clubes de leitura, autora e coautora de livros e artigos. É formadora do projeto Respeitar é Preciso!, do Instituto Vladimir Herzog.

 

Investimento:

R$ 60,00 (cada atividade).

Gratuito para alunos do curso de graduação em Pedagogia do Instituto Vera Cruz.

Um pequeno lanche será servido antes de cada atividade, às 18h30.