Diferenças

 Veridiana A. Gibotti – 7º C

 

Minha terra tem grãos

E uma mera condição

Menos de 1% da população

Está em boas mãos

 

Muita gente sem trabalho

Muita gente sem comer

Crianças sem aprender

E adultos sem saber

 

Muita gente se gabando

Com banquetes todo dia

Faltando na escola

Sem noção do que perdia

 

Não se importar com faltas

Não se importar com a opinião

Não se importar com as diferenças

Não se importar com a união

 

Perdendo o bonde e a esperança

De quem está na liderança

Pensamento equivocado

No perigo delicado

 

Talvez um dia eu me liberte

desse inferno, desse pecado

Desse mundo infeliz

Para qualquer coisa que se diz

 

Adeus, avezinha

Adeus, posição civil

Adeus, minha vizinha

Adeus, meu Brasil

 

[Intertextualidade feita a partir do poema “Canção do exílio”, de Gonçalves Dias.]

Diferenças

Traduzir-se  

Luíza Lima de Melo

 Uma parte de mim
é flor
outra parte
canaliza amor

Uma parte de mim
é amarrada
outra parte
desencontrada

Uma parte de mim
é mar que vive a velejar
outra parte
é rio calmo e frio

Uma parte de mim
se joga
outra parte
é feita de guarda

Uma parte de mim
se afoga
outra parte
nada e boia

Uma parte de mim
é cadente
outra parte
fluida e consciente

Traduzir uma parte
na outra parte – desencantos e encantos
julgando o mesmo –
humanidade.

[Intertextualidade feita a partir do poema “Traduzir-se”, de Ferreira Gullar.]

Traduzir-se  

Traduzir-se

Ana Campos Veríssimo – 7º C

Uma parte de mim

é risada, diversão

outra parte é anseio

preocupação…

 

Uma parte de mim

é só emoção

outra parte é lógica

e razão

 

Uma parte de mim

é indiferente

outra parte

encanta toda gente

 

Uma parte de mim

é felicidade, multidão

outra parte é tristeza

e solidão

 

Uma parte de mim

se envergonha

outra parte é extrovertida e

e sonha…

[Intertextualidade feita a partir do poema “Traduzir-se, de Ferreira Gullar.]

Traduzir-se

Traduzir-me

Matteo Fontana – 7º C

 

Uma parte de mim

cria e imagina

outra parte está morta

e cinza

 

Uma parte de mim

vaga e fala

outra parte

deixa e cala

 

Uma parte de mim

come e dorme

outra parte

inova de repente

 

Uma parte de mim

é pura alegria

outra parte

é só melancolia

 

Uma parte de mim

tenta traduzir-se

outra parte

não se compreende…

 

[Intertextualidade feita a partir do poema “Traduzir-se, de Ferreira Gullar.]

Traduzir-me

O mundo complexo

Alice Gandour – 7ºD

Ouço vozes,

Não são bonitas

Mas também não são feias

São complexas

Difíceis de entender.

 

Não são claras, mas escuto o que falam.

Acho que tentam explicar sua complexidade

Querem me ajudar

A ver o mundo com claridade

 

São bipolares,

Sempre as mesmas palavras

Que se espalham pelos ares

Olho para cima,

Ficam mais altas

Será porque fazem isso?

 

Seus caminhos não têm siso

Vão ali e elas aumentam

No outro dia volto

E elas sumiram

Nada disso é preciso

 

Espero algum dia compreender

O que hoje não consigo entender.

O mundo complexo